Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://ri.ufmt.br/handle/1/1144
Tipo documento: Dissertação
Título: Detecção de anticorpos anti-Rickettsia spp. em cães e equinos no estado de Mato Grosso, Brasil
Autor(es): Amorim, Marcus Vinicius de
Orientador(a): Pacheco, Richard de Campos
Coorientador: Aguiar, Daniel Moura de
Membro da Banca: Pacheco, Richard de Campos
Membro da Banca: Nakazato, Luciano
Membro da Banca: Santarém, Vamilton Alvares
Resumo : Riquetsioses são doenças causadas por bactérias do gênero Rickettsia e família Rickettsiaceae. Entre as espécies patogênicas para humanos, somente Rickettsia rickettsii, causadora da Febre Maculosa Brasileira (FMB), Rickettsia parkeri e Rickettsia felis foram descritas no Brasil. Além disso, Rickettsia amblyommii, Rickettsia rhipicephali e Rickettsia bellii foram detectadas e/ou isoladas em carrapatos no país, sendo consideradas de patogenicidade desconhecida para humanos e animais. Os principais carrapatos vetores inseridos na epidemiologia são Amblyomma cajennense e Amblyomma aureolatum, além da suspeita participação do Rhipicephalus sanguineus. Em áreas endêmicas para FMB os cães e equinos apresentam altos títulos de anticorpos contra Rickettsia spp., possivelmente correlacionados com o parasitismo pelos carrapatos. O estudo avaliou a presença de anticorpos em amostras de soro de cães e equinos a partir de antígenos brutos de R. rickettsii, R. parkeri, R. amblyommii, R. rhipicephali e R. bellii através da pesquisa de anticorpos pela Reação de Imunofluorescência Indireta (RIFI), buscando verificar a circulação de riquétsias no Estado. Foram obtidas amostras de 384 cães atendidos no Hospital Veterinário (HOVET) da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), em Cuiabá. Com base no mapa das unidades de atendimento do Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (INDEA-MT), foram avaliadas 460 amostras de soro, calculadas de acordo com a população equina das 12 regionais do INDEA-MT. Quando uma amostra foi positiva (títulos ≥ 64) para pelo menos um antígeno testado, e o título obtido para uma determinada espécie de Rickettsia foi pelo menos quatro vezes maior do que o título mais alto obtido para as demais espécies pode-se sugerir que os anticorpos foram homólogos à primeira espécie, sendo considerado o provável antígeno responsável pela infecção (PARI). Das 11 (2,86%) amostras positivas (título ≥64) para Rickettsia spp. em cães, oito determinaram R. bellii como PARI. Para os equinos determinou-se como PARI: 131 (47,9%) amostras para R. amblyommii, 13 para R. bellii (4,76%), 6 para R. rickettsii (2,19%) e 5 para R. rhipicephali (1,83%). Os resultados mostraram que os cães, sentinelas para FMB, apresentaram baixa exposição aos carrapatos infectados com riquétsias do GFM, indicando baixo risco de infecção humana por esses agentes na área estudada. Em relação às amostras de soro equino testadas, observou-se um alto percentual (59,3%) de animais sororreagentes (títulos ≥ 64) à Rickettsia spp., como também, a possível circulação de R. amblyommii, R. rhipicephali, R. bellii e R. rickettsii. A comprovação da circulação de R. amblyommii já havia sido confirmada no município de Poconé-MT infectando cães, no entanto, observou-se a partir desse estudo, uma ampla distribuição dessa bactéria por todo Estado. A R. amblyommii tem sido detectada em carrapatos do continente americano e sorologicamente associado a possíveis casos mais brandos de riquetsioses nos EUA. Para R. rhipicephali e R. bellii há a necessidade de comprovação da patogenicidade para humanos e animais. Apesar da observação de animais apresentando títulos de anticorpos homólogos à R. rickettsii, e por esta espécie apresentar alta letalidade em seres humanos, esses dados devem ser observados com cautela, pois não há confirmação de casos de FMB no Estado.
Resumo em lingua estrangeira: Rickettsial diseases are caused by bacteria of the genus Rickettsia and family Rickettsiaceae. Among the pathogenic species for humans, only Rickettsia rickettsii, causing the Brazilian Spotted Fever (BSF), Rickettsia parkeri and Rickettsia felis have been described in Brazil. Furthermore, Rickettsia amblyommii, Rickettsia bellii and Rickettsia rhipicephali were detected and/or isolated in ticks in the country and is considered unknown pathogenicity to humans and animals. The main tick vectors inserted in the epidemiology are Amblyomma cajennense, Amblyomma aureolatum, beyond the suspected involvement of Rhipicephalus sanguineus. In areas endemic for BSF the dogs and horses have high titers of antibodies to Rickettsia spp. possibly correlated with parasitism by ticks. The study evaluated the presence of antibodies in serum samples from dogs and horses from crude antigens of R. rickettsii, R. parkeri, R. amblyommii, R. rhipicephali and R. bellii by Indirect Immunofluorescence Assay (IFA), seeking to verify the circulation of rickettsiae in the State. Samples were obtained from 384 dogs examined at the Veterinary Hospital (HOVET) in the Federal University of Mato Grosso (UFMT) in Cuiabá. Based on the map of the service units of the Institute Agricultural Defense of the State of Mato Grosso (INDEA-MT), were evaluated 460 serum samples, calculated according to the equine population of the 12 regional INDEA-MT. When a sample was positive (titers ≥ 64) for at least one antigen tested, and the titer obtained for a particular species of Rickettsia was at least four times higher than the highest one obtained for the other species can be suggested that antibodies counterparts were the first species, and is considered the probable antigen responsible for infection (PARI). Of the 11 (2.86%) samples were positive (titer ≥ 64) for Rickettsia spp. in dogs, eight determined R. bellii as PARI. For horses was determined as PARI: 131 (47.9%) samples for R. amblyommii, 13 to R. bellii (4.76%), 6 to R. rickettsii (2.19%) and 5 to R. rhipicephali (1.83%). The results showed that dogs, for BSF sentinels, had low exposure to ticks infected with Rickettsia of SFG, indicating low risk of human infection by these agents in the area. Regarding equine serum samples tested, there was a high percentage (59.3%) of animals were seropositive (titers ≥ 64) to Rickettsia spp., as well the possible movement of R. amblyommii, R. rhipicephali, R. bellii and R. rickettsii. Evidence of movement of R. amblyommii had already been confirmed in the city of Poconé-MT infecting dogs, however, was observed from this study, a wide distribution of the bacteria throughout the State. R. amblyommii ticks have been detected in the Americas and serologically associated with possible mild cases of rickettsial diseases in the United States. For R. rhipicephali and R. bellii is necessary to prove the pathogenicity for humans and animals. Despite the observation of animals exhibiting homologous antibody titers to R. rickettsii, and for this species present high lethality to humans, these data should be viewed with care, since there is no confirmation of cases in the State of BSF
Palavra-chave: Rickettsia spp
Reação de imunofluorescência indireta
Soroprevalência
Cães
Equinos
Palavra-chave em lingua estrangeira: Rickettsia spp
Indirect immunofluorescence assay
Seroprevalence
Dogs
Horses
CNPq: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::MEDICINA VETERINARIA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Mato Grosso
Sigla da instituição: UFMT CUC - Cuiabá
Departamento: Faculdade de Agronomia, Medicina Veterinária e Zootecnia (FAMEVZ)
Programa: Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias
Referência: AMORIM, Marcus Vinicius de. Detecção de anticorpos anti-Rickettsia spp. em cães e equinos no estado de Mato Grosso, Brasil. 2013. 53 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal de Mato Grosso, Faculdade de Agronomia, Medicina Veterinária e Zootecnia, Cuiabá, 2013.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://ri.ufmt.br/handle/1/1144
Data defesa documento: 28-Feb-2013
Aparece na(s) coleção(ções):CUC - FAMEVZ - PPGVET - Dissertações de mestrado

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISS_2013_Marcus Vinicius de Amorim.pdf912.67 kBAdobe PDFVer/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.