Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://ri.ufmt.br/handle/1/1551
Tipo documento: Dissertação
Título: Ativismo de mulheres negras em Cuiabá : práticas de comunicação e vinculação social
Autor(es): Pinto, Neusa Baptista
Orientador(a): Gushiken, Yuji
Membro da Banca: Gushiken, Yuji
Membro da Banca: Costa, Candida Soares da
Membro da Banca: Santos, Sérgio Pereira dos
Membro da Banca: Nunes, Cicera
Resumo : Esta pesquisa investiga a dimensão comunicacional das práticas de mobilização e organização de mulheres negras ativistas da cidade de Cuiabá (MT) a partir do modelo teórico da comunicação como cultura (LIMA, 2001) e, no interior deste, da compreensão de comunicação como vinculação social (SODRÉ, 20214), que desloca o fenômeno do âmbito da “tecnointeração” e privilegia os processos primários de comunicação, reafirmando-a como parte da própria existência humana. São objetivos específicos: a) identificar os significados atribuídos pelos sujeitos às pautas emergentes que caracterizam a generalidade e a singularidade do ativismo de mulheres negras em Cuiabá, no biênio 2016-2017; b) evidenciar aspectos da relação entre ativismo, práticas cotidianas e subjetividade e c) observar a dinâmica comunicacional das práticas sociais mediadas pela afirmação de uma negritude. A vinculação social está na base do modo de organização das mulheres observadas para o presente trabalho, o qual é considerado a partir da noção de rizoma (multiplicidade) (DELEUZE e GUATTARI, 1995), a qual evidencia seu caráter eminentemente heterogêneo, a-centrado e não hierárquico, considerando-se aquilo que ele apresenta não apenas o que nega. Abordamos a subjetividade da mulher negra com base na noção de identidade como rizoma, que retrata o caráter instável das subjetividades híbridas que emergem com o fenômeno da crioulização (GLISSANT, 2013). O estudo é descritivo e teve como proposta metodológica a pesquisa participante (BRANDÃO; STRECK, 2006) junto a sete mulheres negras do Instituto de Mulheres Negras de Mato Grosso (2002) e acompanhamento de duas mulheres negras vinculadas ao Grupo Mulheres do Hip Hop (2015) e à Frente Feminista da UFMT (2013). Foram observados eventos (reuniões, shows, rodas de conversas, visita, palestra, festa, protestos), os quais são considerados espaços de vinculação social. O grupo possui características diferenciadas em relação à própria ideia corrente de ativismo ou militância que, em geral, confere maior legitimidade ao que se aproxime da unidade, da fixidez e da homogeneidade características do modelo organizacional hegemônico. Baseia-se na criatividade: enquanto atua também cria a si mesmo. A maneira colaborativa com que as atividades são realizadas e o modo diverso pelo qual as mulheres “participam” dos grupos são características do que denominamos de “modo rizomorfo de organização”. A virtude da vinculação social entre mulheres negras está na criação de uma comunidade enquanto coletividade baseada em uma “obrigação simbólica originária” (Sodré, 2014), contrapondo-se ao modelo de relação societário. Para além de evidenciar limitação organizacional, demonstra o potencial mobilizador das práticas cotidianas.
Resumo em lingua estrangeira: This research investigates the communicational dimension of the mobilization and organization practices of black activist women in the city of Cuiabá (MT), based on the theoretical model of communication as culture (LIMA, 2001) and, within this, the understanding of communication as a social link (SODRÉ, 20214), which shifts the phenomenon from the scope of technointeraction and privileges the primary processes of communication, reaffirming it as part of human existence itself. Specific objectives are: a) to identify the meanings attributed by the subjects to the emerging patterns that characterize the generality and the singularity of black women's activism in Cuiabá, in the biennium 2016- 2017; c) evidence aspects of the relationship between activism, daily practices and subjectivity and d) observe the communicational dynamics of social practices mediated by the affirmation of blackness. The term communication (communicatio) has the same radical of community, common, communicate, etc., referring to sharing, proximity, "being with". Social bonding is the basis of the mode of organization of women observed for the present study, which is considered from the notion of rhizome (multiplicity) (Deleuze and Guattari, 1995), which shows its eminently heterogeneous, a-centered character and not hierarchical, considering what he presents not only what he denies. We approach the subjectivity of the black woman based on the notion of identity as rhizome, which portrays the unstable character of the hybrid subjectivities that emerge with the phenomenon of creolization (GLISSANT, 2013). The study is descriptive and had as a methodological proposal the participant research (BRANDÃO, STRECK, 2006) with seven black women from the Institute of Black Women of Mato Grosso (2002) and follow-up of two black women linked to the Hip Hop Women's Group (2015) and the Feminist Front of UFMT (2013). Events were observed (meetings, concerts, talk wheels, visit, lecture, party, protests), which are considered spaces of social connection. The group has different characteristics in relation to the current idea of activism or militancy that, in general, gives greater legitimacy to what comes close to the unity, fixity and homogeneity characteristic of the hegemonic organizational model. It is based on creativity: while acting, it also creates itself. The collaborative way in which the activities are carried out and the diverse way in which women "participate" in groups are characteristic of what we call the "rhizomorphic mode of organization." The virtue of social bonding among black women lies in the creating a community as a collectivity based on affectivities and affinities, in the "original symbolic obligation" (Sodré, 2014), in opposition to the model ofcorporate relationship. Besides demonstrating organizational limitation, it demonstrates the mobilizing potential of everyday practices.
Palavra-chave: Comunicação
Vinculação social
Ativismo de mulheres negras
Cuiabá, rizoma
Palavra-chave em lingua estrangeira: Communication
Social bonding
Activism of black women
Cuiabá, rhizome
CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Mato Grosso
Sigla da instituição: UFMT CUC - Cuiabá
Departamento: Faculdade de Comunicação e Artes (FCA)
Programa: Programa de Pós-Graduação em Estudos de Cultura Contemporânea
Referência: PINTO, Neusa Baptista. Ativismo de mulheres negras em Cuiabá: práticas de comunicação e vinculação social. 2018. 294 f. Dissertação (Mestrado em Estudos de Cultura Contemporânea) - Universidade Federal de Mato Grosso, Faculdade de Comunicação e Artes, Cuiabá, 2018.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://ri.ufmt.br/handle/1/1551
Data defesa documento: 29-Mar-2018
Aparece na(s) coleção(ções):CUC - FCA - ECCO - Dissertações de mestrado

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISS_2018_Neusa Baptista Pinto.pdf4.58 MBAdobe PDFVer/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.