Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://ri.ufmt.br/handle/1/204
Tipo documento: Dissertação
Título: Identidade e dreamtime em Wild cat falling de Mudrooroo
Autor(es): Marucci, Beatriz
Orientador(a): Carbonieri, Divanize
Membro da Banca: Carbonieri, Divanize
Membro da Banca: Jesus, Danie Marcelo de
Membro da Banca: Corrêa, Cláudia Maria Fernandes
Resumo : O atual cenário da literatura pós-colonial é extremamente diversificado, com vários exemplos de renomados escritores africanos, canadenses, indianos, latino-americanos, australianos, todos buscando representar e muitas vezes questionar sua identidade cultural. A lista de autores que apresentam as influências negativas ou positivas que a sua cultura sofreu e sofre através do processo de colonização até os dias atuais é incomensurável, entretanto, a literatura australiana se apresenta como um instigante objeto de pesquisa para os estudos pós-coloniais devido a sua singularidade. O escritor aborígene australiano Mudrooroo, por exemplo, nos contempla com o romance Wild cat falling (1965), em que pela primeira vez na história da literatura australiana a minoria aborígene é representada no papel de protagonista. As experiências selecionadas pelo autor para a representação da condição aborígene na Austrália contemporânea envolvem a exclusão social e a criminalidade, mas também a busca por uma afirmação de identidade. O objetivo deste trabalho é analisar a construção da identidade aborígene nesse romance, realizada, em grande parte, através de choques entre o protagonista, que se reconhece como pertencente a essa etnia, e os brancos com os quais convive na Austrália atual. Ainda que essas relações conflituosas se apresentem como um eco da antiga situação colonial, alguns essencialismos são desconstruídos em busca de uma convivência transformada. O tema da jornada de busca aos valores ancestrais, sobretudo através do fenômeno do Dreamtime, em torno do qual toda a narrativa se constrói, sinaliza o fato de que a cultura é “uma fonte de identidade”, suscitando “recentes retornos a ela e à tradição” (SAID, 2011, p. 12). Porém, Mudrooroo representa esse retorno, dando ênfase aos processos de hibridismo e tradução cultural pelos quais seu personagem passa. O resultado é que o personagem se sente mais revigorado e reconciliado com sua herança cultural ao final da narrativa, estando pronto para enfrentar melhor o que tem pela frente.
Resumo em lingua estrangeira: The current scenario of post-colonial literature is extremely diverse, with several examples of famous African, Canadian, Indian, Latin-American, Australian writers, all seeking to represent and often question their cultural identity. The list of authors who feature the negative or positive influences that their cultures suffered and suffer through the process of colonization to the present day is immeasurable, however, Australian literature is an exciting object for postcolonial studies due to its uniqueness. Australian Aboriginal writer Mudrooroo, for example, presents us with Wild cat falling (1965), a novel in which for the first time in the history of Australian literature the Aboriginal minority is represented as protagonist. The experiences selected by the author to represent the Aboriginal condition in contemporary Australia involve social exclusion and crime, but also the search for an identity. The objective of this study is to analyze the construction of Aboriginal identity in this novel, given largely by clashes between the protagonist, who recognizes himself as belonging to this ethnic group, and the whites with whom he lives in Australia today. Although these conflicting relationships are presented as an echo of the old colonial situation, some essentialisms are deconstructed in search of a transformed coexistence. The theme of the journey in search for ancestral values, especially through the Dreamtime phenomenon, around which the entire narrative is built, signals the fact that culture is “a source of identity,” raising “recent returns to it and to tradition” (SAID, 2011, p. 12). But Mudrooroo portrays this return by focusing on the processes of hybridity and cultural translation his protagonist goes through. The result is that the character feels more reinvigorated and reconciled with his cultural heritage at the end of the narrative, being ready to face what is going to happen to him next.
Palavra-chave: Literatura pós-colonial
Austrália
Identidade
Dreamtime
Mudrooroo
Palavra-chave em lingua estrangeira: Post-colonial literature
Australia
Identity
Dreamtime
Mudrooroo
CNPq: CNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Mato Grosso
Sigla da instituição: UFMT CUC - Cuiabá
Departamento: Instituto de Linguagens (IL)
Programa: Programa de Pós-Graduação em Estudos de Linguagem
Referência: MARUCCI, Beatriz. Identidade e dreamtime em Wild cat falling de Mudrooroo. 2015. 109 f. Dissertação (Mestrado em Estudos de Linguagem) - Universidade Federal de Mato Grosso, Instituto de Linguagens, Cuiabá, 2015.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://ri.ufmt.br/handle/1/204
Data defesa documento: 12-Jun-2015
Aparece na(s) coleção(ções):CUC - IL - PPGEL - Dissertações de mestrado

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISS_2015_Beatriz Marucci.pdf710.48 kBAdobe PDFVer/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.