Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://ri.ufmt.br/handle/1/526
Tipo documento: Dissertação
Título: Reportando propriedades da madeira ao teor de umidade de referência
Autor(es): Soares, Rainy da Conceição
Orientador(a): Logsdon, Norman Barros
Membro da Banca: Logsdon, Norman Barros
Membro da Banca: Jesus, José Manoel Henriques de
Membro da Banca: Finger, Zenesio
Membro da Banca: Macêdo, Alcebiades Negrão
Resumo : Há muito tempo sabe-se que a resistência da madeira varia com seu teor de umidade. Com o aumento do teor de umidade da madeira observa-se uma diminuição em sua resistência mecânica, esta variação na resistência é mais sensível para baixos teores de umidade, e é praticamente desprezível para elevados teores de umidade. Decorre deste fato, que para comparar a resistência de duas espécies, ou peças, a uma determinada solicitação, é necessário estabelecer-se um teor de umidade de referência, pois uma espécie de menor resistência, com baixo teor de umidade, pode aparentar maior resistência que uma espécie sabidamente mais resistente, porém com elevado teor de umidade. A atual norma brasileira para o projeto de estruturas de madeira adota, para referência, o teor de umidade de 12%, para o qual devem ser reportados todos os resultados de ensaios. A hipótese deste trabalho é a de que reportar resultados de ensaios feitos em madeira verde, ao teor de umidade de referência, pode produzir erros bem superior a 10%, portanto, inaceitáveis ao calculo de estruturas de madeira. O procedimento adequado seria fazer uma secagem inicial, em clima padrão (Temperatura de 202oC e umidade relativa de 655%), até estabilização da massa, ou seja, até atingir a umidade de equilíbrio com o ambiente, antes de fazer os ensaios. O objetivo deste trabalho foi mostrar que os resultados de ensaios realizados com madeira muito úmida, ou seja, com teor de umidade acima do limite de saturação das fibras, não podem ser adequadamente corrigidos para o teor de umidade de referencia de 12%, pois o erro cometido nessa correção pode superar 10%. Para isto, foram comparados resultados, corrigidos ao teor de umidade de referência, de ensaios realizados em madeira seca ao ar e condicionada (valores já próximos a 12% de umidade) com os obtidos em madeira muito úmida, no caso saturada em água. Para dar consistência estatística foram utilizadas 10 espécies diferentes de madeira. De cada espécie foram realizados ensaios de compressão paralela (resistência e rigidez), cisalhamento e densidade aparente, nas três condições de umidade já definidas. Utilizando-se como variável o “erro relativo”, tomando por base o valor corrigido, por expressões já validadas na literatura para o intervalo de umidade entre 10 e 20%, a partir da situação “madeira condicionada”, foi aplicado o teste de Tukey, cujos resultados indicam que as correções feitas a partir das situações “madeira condicionada” e “madeira seca ao ar” são estatisticamente equivalentes e diferem das correções feitas a partir da situação “madeira saturada”. Conclui-se, dessa forma, que para reportar valores à umidade de referência não se pode partir de ensaios em madeira com elevado teor de umidade, os corpos-de-prova devem estar condicionados ou secos ao ar.
Resumo em lingua estrangeira: For a long time it is known that the wood strength varies with its moisture content. Increasing wood moisture content occurs a decrease in its mechanical strength, this variation in resistance is more sensitive to low levels of moisture content, and is practically negligible to high levels of moisture content. Happens from this fact, that to compare two species strength, or wooden pieces, to a specific request, it is necessary to establish a reference moisture content, because a lower strength species, with low moisture content, can to present higher strength that a greatest strength species, but with higher moisture content. The current Brazilian Code for the timber structures design adopts for reference, the 12% moisture content, to which all tests results must be reported. The hypothesis of this work is that when reporting results of tests made in wood green, to the 12% moisture content, the errors can be superior to 10%, therefore, unacceptable to timber structures design. The proper procedure would be to make an initial drying, on standard weather, until mass stabilization, that is, until it reaches the moisture content equilibrium with the environment, before making the tests. The objective of this work was to show that the results of tests conducted with very wet wood, i.e. with moisture content above the fibers saturation limit, cannot be adequately corrected for the 12% reference moisture content, because the error committed in this correction can overcome 10%. To this, results of tests conducted in air-dried wood and conditioned (values already close to 12% moisture content) were compared with those obtained in very wet wood, in this case wood saturated in water. These results were previously reported at reference moisture content. For statistical consistency were used 10 different species of wood. Of each species were conducted tests of compression parallel to the fibers (strength and stiffness), shear strength and specific gravity, on the three defined conditions for moisture. Using as variable the “relative error”, on the basis of the corrected value by expressions, already validated in the literature for the moisture interval between 10 and 20%, from the situation “conditioned wood”, Tukey test was applied and the results indicate that the corrections made from the situations "conditioned wood" and " air-dried wood" are statistically equivalents, but differ from corrections made from the situation "saturated wood". It is concluded, therefore, that to report tests results to the moisture content reference, these results can’t be obtained from tests on high moisture content wood. The specimens must be conditioned or air-dried before.
Palavra-chave: Resistência
Rigidez
Densidade aparente
Palavra-chave em lingua estrangeira: Strength
Stiffness
Specific gravity
CNPq: CNPQ::ENGENHARIAS
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Mato Grosso
Sigla da instituição: UFMT CUC - Cuiabá
Departamento: Faculdade de Arquitetura, Engenharia e Tecnologia (FAET)
Programa: Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Edificações e Ambiental
Referência: SOARES, Rainy da Conceição. Reportando propriedades da madeira ao teor de umidade de referência. 2014. 164 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Edificações e Ambiental) - Universidade Federal de Mato Grosso, Faculdade de Arquitetura, Engenharia e Tecnologia, Cuiabá, 2014.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://ri.ufmt.br/handle/1/526
Data defesa documento: 9-May-2014
Aparece na(s) coleção(ções):CUC - FAET - PPGEEA - Dissertações de mestrado

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISS_2014_Rainy da Conceição Soares.pdf11.38 MBAdobe PDFVer/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.