Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://ri.ufmt.br/handle/1/552
Tipo documento: Dissertação
Título: Objetos para pensar : o nosso aqui, comprado ali, vindo de lá
Autor(es): Rondon, Rodolfo Polzin
Orientador(a): Brandão, Ludmila de Lima
Membro da Banca: Brandão, Ludmila de Lima
Membro da Banca: Gushiken, Yuji
Membro da Banca: Guimarães, Leda Maria de Barros
Resumo : A presente investigação inicia-se no edifício popularmente chamado de “camelódromo” ou Shopping Popular de Cuiabá. Construído há mais de quinze anos, esse espaço é parte constitutiva desta capital, ao mesmo tempo em que a integra aos fluxos globais de circulação de mercadorias, mais especificamente aos objetos Made in China. Por meio da proposta etnográfica “de perto e de dentro” seguimos, do fim para o começo, o percurso feito por essas “quinquilharias”, representadas no texto pelo gatinho da sorte ou Maneki Neko. Assim sendo, partimos do camelódromo (e de toda a sua constituição histórica e física) rumo à Ciudad Del Este, centro econômico do Paraguai, amplamente conhecido pelo comércio desse tipo de mercadoria e destino de compras dos camelôs do Shopping Popular de Cuiabá. Lá averiguamos de perto os fluxos e trânsitos desses objetos, descrevendo detalhadamente as práticas observadas que subsidiaram as reflexões acerca do termo “globalização subalterna”. Por fim, apresentamos os fatores que contribuíram, historicamente, para a consolidação da China como potência mundial produtora desses produtos e realizamos uma “biografia” do Maneki Neko, com o intuito de discutir de que forma esses objetos contribuem para a compreensão dos meios pelos quais agem os que estão fora dos fluxos hegemônicos do mundo contemporâneo.
Resumo em lingua estrangeira: The present investigation parts of the building popularly called "camelódromo" or Popular Shopping in Cuiabá. Built more than fifteen years ago, this space is a constitutive part of the city while integrates the global flows of movement of goods, more specifically the objects Made in China. Through the proposed ethnographic "near and inside" we made, the ending to beginning, the route taken by these "junk", represented in the text by luck cat or Maneki Neko. Therefore, we assume camelódromo (and all its history and physical constitution) towards Ciudad Del Este, the Paraguayan city widely known by the trade of this type of merchandise and shopping destination of the hawkers in the Popular Shopping in Cuiabá. There we analised closely the flows and transits of these objects, describing in detail the practices that supported the observed reflections on the term "subaltern globalization." Finally, we present the factors that contributed historically to the consolidation of China as a sign of power producing these objects and perform a "biography" of Maneki Neko, with the purpose of discuss where these objects contribute to the understanding of the means by which the act that are outside the hegemonic flows in the contemporary world.
Palavra-chave: Camelódromo
Globalização subalterna
Made in China
Maneki Neko
Palavra-chave em lingua estrangeira: Camelódromo
Subaltern globalization
Made in China
Maneki Neko
CNPq: CNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Mato Grosso
Sigla da instituição: UFMT CUC - Cuiabá
Departamento: Instituto de Linguagens (IL)
Programa: Programa de Pós-Graduação em Estudos de Cultura Contemporânea
Referência: RONDON, Rodolfo Polzin. Objetos para pensar: o nosso aqui, comprado ali, vindo de lá. 2012. 113 f. Dissertação (Mestrado em Estudos de Cultura Contemporânea) - Universidade Federal de Mato Grosso, Instituto de Linguagens, Cuiabá, 2012.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://ri.ufmt.br/handle/1/552
Data defesa documento: 7-Feb-2012
Aparece na(s) coleção(ções):CUC - IL - ECCO - Dissertações de mestrado

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISS_2012_Rodolfo Polzin Rondon.pdf4.24 MBAdobe PDFVer/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.