Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://ri.ufmt.br/handle/1/804
Tipo documento: Dissertação
Título: Óbitos atribuídos à hanseníase no Brasil no período de 2000 a 2007
Autor(es): Ramos, Aleksandra Rosendo dos Santos
Orientador(a): Ignotti, Eliane
Coorientador: Ferreira, Silvana Margarida Benevides
Membro da Banca: Ignotti, Eliane
Membro da Banca: Santos, Marina Atanaka dos
Membro da Banca: Gallo, Maria Eugenia Noviski
Resumo : A mortalidade em consequência da hanseníase é pouco estudada, entretanto a doença tem sido registrada com frequência como causa básica de morte. No Brasil foram registrados 1850 óbitos por hanseníase entre 2000 a 2007. Em Mato Grosso, área endêmica da doença na Amazônia brasileira foram registrados 129 óbitos por hanseníase no mesmo período. Objetivo - Analisar o perfil de mortalidade por hanseníase no Brasil no período de 2000 a 2007. Métodos - Estudo epidemiológico transversal desenvolvido em duas etapas: 1- Analise do perfil de mortalidade por hanseníase no Brasil no período de 2000 a 2007; e 2- Comparação dos registros de óbitos por hanseníase contidos no Sistema de Informação de Mortalidade com aqueles registrados no Sistema de Informação de Agravos de Notificação no Estado de Mato Grosso no período de 2000 a 2007. As análises foram estratificadas segundo sexo, faixa etária, cor/raça, escolaridade, local do óbito, causas do óbito, unidades da federação, ano de diagnóstico da hanseníase, ano de alta do tratamento, classificação operacional, forma clínica, grau de incapacidade, esquema terapêutico e tempo em meses entre o diagnóstico da hanseníase e o óbito. Resultados - Verificou-se que no Brasil ocorre maior proporção de óbitos em maiores de 60 anos (56,8%), nos analfabetos (27,6%) e em indivíduos do sexo masculino (72%). O coeficiente geral de detecção de hanseníase mostrou-se correlacionado positivamente com o coeficiente de mortalidade da doença, e negativamente com a taxa de letalidade. Mato Grosso apresentou o maior coeficiente de mortalidade com 4,8 óbitos por 100.000 habitantes e o Rio Grande do Sul a maior taxa de letalidade com 15,4 óbitos por 1000 casos novos da doença. Dos 129 óbitos por hanseníase em Mato Grosso, 88 óbitos foram identificados como casos dehanseníase no Sinan. Dentre os 88 óbitos a frequência daqueles que receberam alta por cura é igual a de alta por óbito (n=36; 40,9%). A causa básica do óbito com maior proporção é a hanseníase não específica (n=88; 75,9%). A maioria dos óbitos era multibacilar (n=73; 82,9%), da forma clínica virchowiana (n=46; 52,2%) e não foi avaliado o grau de incapacidade (n=60; 68,1%). Conclusão - A hanseníase configura-se como causa básica e causa associada de óbitos no Brasil, especialmente em indivíduos com idade avançada, do sexo masculino e analfabetos. Em Mato Grosso os registros de óbito por hanseníase incluem indivíduos curados com poliquimioterapia, e indivíduos que morreram durante os primeiros meses de tratamento. Os óbitos foram mais freqüentes entre os idosos, com baixo nível de escolaridade e portadores da forma clínica virchowiana.
Resumo em lingua estrangeira: The mortality as a result of leprosy is poorly studied, however the disease has been recorded frequently as a cause of death. In Brazil 1850 deaths were registered leprosy from 2000 to 2007. In Mato Grosso, an endemic disease in the Brazilian Amazon were registered 129 deaths from leprosy in the same period. Objective - To analyze the mortality profile of leprosy in Brazil for the period 2000 to 2007. Methods - A cross-sectional epidemiological study carried out in two steps: 1 - Analysis of the mortality profile of leprosy in Brazil in the period 2000 to 2007, and 2 - Comparison of deaths by leprosy contained in the Mortality Information System with those recorded in the System Information of Notifiable Diseases in the State of Mato Grosso in the period 2000 to 2007. The analyzes were stratified by sex, age, color / race, education, place of death, causes of death, the federation units, year of diagnosis of leprosy, year of release from treatment, operational classification, clinical presentation, degree of disability, regimen and time in months between the diagnosis of leprosy and death. Results - It was found that in Brazil there is a higher proportion of deaths among people over 60 (56.8%), the illiterate (27.6%) and males (72%). The overall detection rate of leprosy was found to be positively correlated with the mortality rate for the disease, and negatively correlated with the mortality rate. Mato Grosso showed the highest mortality rate with 4.8 deaths per 100,000 inhabitants and Rio Grande do Sul the highest fatality rate at 15.4 deaths per 1000 new cases of the disease. Of the 129 deaths from leprosy in Mato Grosso, 88 deaths were identified as cases of leprosy in Sinan. Of the 88 deaths the frequency of those who were discharged after cure is equal to high per death (n = 36, 40.9%). The causeof death with a higher proportion of leprosy is not specific (n = 88, 75.9%). Most deaths were multibacillary (n = 73, 82.9%) of lepromatous clinical form (n = 46, 52.2%) and was not rated the degree of disability (n = 60, 68.1%). Conclusion - Leprosy is characterized as the underlying and associated cause of death in Brazil, especially in individuals with advanced age, male and illiterate. In Mato Grosso the death registrations include individuals cured leprosy with multidrug therapy, and individuals who died during the first months of treatment. Deaths were more frequent among the elderly with low education and those with the lepromatous clinical form.
Palavra-chave: Hanseníase
Óbitos
Causa básica
Cura
Palavra-chave em lingua estrangeira: Lepros
Deaths
Underlying cause
Cure
CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::SAUDE COLETIVA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Mato Grosso
Sigla da instituição: UFMT CUC - Cuiabá
Departamento: Instituto de Saúde Coletiva (ISC)
Programa: Programa de Pós-Graduação em Agricultura Tropical
Referência: RAMOS, Aleksandra Rosendo dos Santos. Óbitos atribuídos à hanseníase no Brasil no período de 2000 a 2007. 2012. 82 f. Dissertação (Mestrado em Saúde Coletiva) - Universidade Federal de Mato Grosso, Instituto de Saúde Coletiva, Cuiabá, 2012.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://ri.ufmt.br/handle/1/804
Data defesa documento: 27-Feb-2012
Aparece na(s) coleção(ções):CUC - ISC - PPGSC - Dissertações de mestrado

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISS_2012_ Aleksandra Rosendo dos Santos Ramos.pdf1.99 MBAdobe PDFVer/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.